Investigação

Pilotos do avião que vitimou Eduardo Campos não tinham formação adequada, diz laudo

Foram descartadas as hipóteses de que o acidente tenha ocorrido por colisão com animais, um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) ou um obstáculo. Também descartou-se que o avião tenha pegado fogo

SÃO PAULO – Laudo divulgado nesta segunda-feira (26) pela Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) mostrou que o piloto e copiloto do jato que transportava o então candidato à presidência Eduardo Campos não tinham a formação adequada para guiar a aeronave. Em 13 de agosto um acidente vitimou o político, o piloto Marcos Martins e mais 5 pessoas.

O chefe da investigação, o tenente-coronel aviador Raul de Souza explicou que os profissionais atuavam anteriormente em aeronaves semelhantes, mas precisavam de mais treinamento para pilotar o jato. “Para o comandante transitar de uma aeronave para a outra, precisava de um treinamento de diferença. Para o copiloto transitar de uma aeronave para outra, precisava de um curso completo”, disse Souza.

De acordo com o Cenipa, foram descartadas as hipóteses de que o acidente tenha ocorrido por colisão com animais, um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) ou um obstáculo. Também descartou-se que o avião tenha pegado fogo durante o voo e que a aeronave estivesse de dorso (de “barriga para cima”).

PUBLICIDADE