Operação Crátons

PF realiza operação no DF e em mais 10 estados por “diamantes da Lava Jato”

Um dos alvos é o escritório Raul Canal & Advogados Associados: a operação envolve o doleiro Habib Chater, que já era investigado pela polícia

SÃO PAULO – A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira (7) em Brasília e em mais dez estados uma operação que é desmembramento da Operação Lava Jato, a chamada Operação Crátons. 

A operação investiga crimes ambientais e comércio ilegal de diamantes extraídos de terras indígenas dos cinta-larga, em Rondônia. De acordo com a PF, 220 agentes vão cumprir 90 mandados: 11 de prisão preventiva, 41 de busca e apreensão, 35 de condução coercitiva e 3 intimações para oitivas.

As investigações revelaram a existência de uma organização criminosa formada por empresários, comerciantes, garimpeiros, advogados e até indígenas acusados de financiar, gerir e promover a exploração de diamantes no chamado “Garimpo Lage”, localizado na reserva indígena Parque do Aripuanã, dos índios cinta larga, segundo informa o Estadão. “A PF também identificou a participação de uma cooperativa e uma associação indígena na extração ilegal das pedras preciosas. A Justiça Federal determinou o sequestro de um imóvel e de dinheiro encontrado nas contas de investigados para ressarcir os danos ambientais”.

PUBLICIDADE

Um dos alvos é o escritório Raul Canal & Advogados Associados: a operação envolve o doleiro Habib Chater, que já era investigado pela polícia. O doleiro era o dono do Posto da Torre, na capital federal, que era utilizado para lavagem de dinheiro.

Conforme informa o jornal O Estado de S. Paulo, em 2013, Chater teve suas conversas telefônicas interceptadas pela Polícia Federal, quando surgiram indícios de que operava remessas de recursos para o exterior por meio da operação conhecida por dólar-cabo. Ele teria movimentado R$ 124 milhões. 

A ação de hoje não envolve investigações da Lava Jato que estão no Supremo Tribunal Federal e nem os que estão na Justiça Federal de Curitiba.

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir: