Operação Fora da Caixa

PF prende ex-senador em investigação de caixa 2 de governador do Pará

As doações ilegais foram feitas para a campanha de 2014

Luiz Otávio Campos (Roosewelt Pinheiro/Ag. Senado)
Aprenda a investir na bolsa

A Operação Fora do Caixa, um desdobramento da Operação Lava Jato, foi deflagrada nesta quinta-feira (9) pela Polícia Federal (PF), a fim de apurar o pagamento de R$ 1,5 milhão, por meio de caixa dois, para o então candidato ao governo do Pará Helder Barbalho, nas eleições de 2014. Segundo a PF, o governador não é investigado na operação. O ex-senador Luiz Otávio Campos é um dos presos. Foi também preso em Palmas, no Tocantins, Àlvaro Cesar Silva da Rin, suspeito de ter participado da intermediação da doação ilegal.

De acordo com a PF, durante as investigações, foram encontrados indícios de que, pelo menos, um dos pagamentos foi ocorreu em um endereço ligado a parentes do ex-senador. As investigações são baseadas em depoimentos de colaboração premiada feitos por executivos da Odebrecht.

Nos depoimentos, os executivos disseram que foram realizadas três entregas, nos valores de R$ 500 mil reais cada, nos meses de setembro e outubro de 2014, sendo que o recebimento foi intermediado por um ex-senador da República, vinculado ao então candidato ao governo estado do Pará”.

Aprenda a investir na bolsa

Os policiais federais cumprem desde as primeiras horas da manhã de hoje dois mandados de prisão temporária nas cidades de Belém, no Pará; Palmas, no Tocantins; e Brasília, no Distrito Federal.

Estão sendo cumpridos também mandados de buscas e apreensões. As medidas judiciais foram autorizadas pela 1ª Vara da Justiça Eleitora na capital paraense.

Segundo a PF, o nome da operação, Fora do Caixa, faz referência ao recebimento de recursos eleitorais não contabilizados. Os crimes sob investigação são de falsidade ideológica eleitoral (Caixa 2), formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

A reportagem da Agência Brasil busca contato para uma manifestação das defesas do ex-senador Luiz Otávio Campos e de Àlvaro Cesar Silva da Rin e aguarda resposta da assessoria de imprensa do governo do Pará.

Invista melhor seu dinheiro. Abra uma conta na XP Investimentos clicando aqui