Operação Lava Jato

PF intima Delfim Netto e pede explicações sobre recebimento de R$ 240 mil da Odebrecht

A defesa do economista e ex-deputado refutou de maneira veemente qualquer irregularidade, reafirmando a prestação de serviços de consultoria na área econômica e que todos os impostos foram recolhidos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ex-ministro da Fazenda Antonio Delfim Netto foi intimado pela Polícia Federal a “prestar esclarecimentos” aos investigadores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba sobre o motivo de ter recebido R$ 240 mil em dinheiro vivo do “departamento de propina” da Odebrecht em 22 de outubro de 2014 no escritório do advogado e sobrinho Luiz Appolonio Neto, quem contou sobre o caso. As informações são do portal Estadão.

A intimação foi feita pela delegada Renata da Silva Rodrigues, após a PF ter tido acesso à planilha do Setor de Operações Estruturadas da maior empreiteira brasileira, na qual constava uma entrega de recursos financeiros no endereço de Appolonio, que, conduzido coercitivamente para depor na 26ª fase da operação (Xepa), disse que não se recordava de ter recebido a quantia. No entanto, nesta segunda-feira, contam os jornalistas Mateus Coutinho, Julia Affonso e Ricardo Brandt os valores não lhe pertencem e teriam sido recebidos a pedido de Delfim, que teria recebido a quantia “em virtude de consultoria prestada”.

A defesa do economista e ex-deputado refutou de maneira veemente qualquer irregularidade, reafirmando a prestação de serviços de consultoria na área econômica e que todos os impostos foram recolhidos. Já a defesa de Appolonio informou que os esclarecimentos foram prestados às autoridades e ficou demonstrado que ele não tem participação nos fatos investigados.

Aprenda a investir na bolsa