Acusação

PF indicia ex-prefeito de São Paulo pelo uso de caixa 2 em campanha vitoriosa

Fernando Haddad nega envolvimento e critica postura do delegado responsável pelas investigações

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A PF (Polícia Federal) indiciou nesta segunda-feira (15) o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, pelo crime de falsidade ideológica por conta do uso de caixa 2 na campanha para a prefeitura de São Paulo em 2012, quando o petista venceu José Serra (PSDB) por 55,6% votos.

De acordo com as investigações da PF, a UTC pagou R$ 2,6 milhões via caixa 2 para bancar serviços da gráfica Souza&Souza para a campanha de Haddad. O indiciamento é mais um desdobramento da Operação Lava Jato, que teve como base as delações premiadas do presidente da empreiteira, Ricardo Pessoa. Além de Haddad, também foram indiciados o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o coordenador da campanha, Francisco Macena, assim como o ex-deputado petista, Francisco Carlos de Souza.

Através de sua assessoria, o ex-prefeito negou irregularidades em sua campanha de 2012 e criticou a postura do delegado federal responsável pelas investigações: “não há o mínimo indício de qualquer participação de Fernando Haddad nos atos descritos por um colaborador sem credibilidade, cujas declarações já foram colocadas sob suspeita em outros casos. O uso descuidado do indiciamento sem elementos concretos de prova banaliza o instituto que deveria ser reservado para situações em que ao menos haja indicio de envolvimento de alguém em atos ilícitos”, aponta o texto.

Aprenda a investir na bolsa