Operação Acrônimo

PF deflagra 8ª fase da Acrônimo e cumpre 20 mandados em SP, RJ, MG e DF

Segundo a PF, as ações são desdobramento da investigação que tramita no STJ

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A Polícia Federal deflagra na manhã desta quinta-feira (15) a 8ª fase da Operação Acrônimo, cumprindo 20 mandados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Segundo a PF, as ações são desdobramento da investigação que tramita no STJ (Superior Tribunal de Justiça). 

O foco da Operação está em  contratos da empreiteira Odebrecht com o BNDES liberados em troca de suposto pagamento de propina. Porém, a empreiteira não é alvo, mas sim uma firma que intermediou os contratos. 

Há ainda suspeitas de fraudes em licitações no Ministério da Saúde em troca de direcionamento dos contratos para gráfica do empresário Benedito Rodrigues Oliveira, o Bené, que é apontado como operador do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. 

PUBLICIDADE

Em São Paulo, há um mandado de condução coercitiva, 5 mandados de condução coercitiva e 4 de buscas no Rio, um de condução coercitiva e dois de busca em Minas e quatro de condução coercitiva e três de busca no Distrito Federal. 

A operação

As investigações da Operação Acrônimo começaram em outubro de 2014, quando agentes federais apreenderam R$ 113 mil em uma aeronave que chegava ao Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek. Na época, a PF informou que tinha como foco o combate a uma organização criminosa investigada por lavagem de dinheiro e desvios de recursos públicos.

Entre os presos estava Benedito de Oliveira Neto, conhecido como Bené e dono da Gráfica Brasil. Naquele ano, atuou na campanha do então candidato e atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel.