Petróleo é o vilão da alta dos alimentos, diz ministro

Segundo o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, Brasil produz mais alimentos hoje do que quando iniciou o projeto de biocombustíveis

SÃO PAULO – O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o vilão da alta dos alimentos é o petróleo e não os biocombustíveis. A afirmação foi feita durante a cerimônia de abertura do Fórum Global de Energia Renováveis, iniciado no último domingo (18) em Foz do Iguaçu (PR). O encontro prossegue até a próxima quarta.

Para Lobão, o Brasil produz mais alimentos agora do que quando iniciou o projeto de biocombustíveis. “Há cinco anos, produzíamos 80 milhões de toneladas de grãos, e hoje, com os biocombustíveis em plena carga, estamos produzindo 140 milhões de toneladas (…) Tem havido elevação do preço dos alimentos no mundo, mas não por causa dos biocombustíveis, mas por causa do preço do petróleo”, explicou, segundo a Agência Brasil.

Na defesa dos biocombustíveis, o diretor brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Sameck, afirmou que o problema da crise mundial dos alimentos
está na má distribuição de renda e de poder no planeta. Segundo ele, a engenharia agronômica já deu respostas para a questão da produção de alimentos há muitos anos.

Ofensiva a favor dos biocombustíveis

PUBLICIDADE

O assessor especial da presidência da República, Marco Aurélio Garcia, afirmou na última sexta-feira (16) que o governo brasileiro lançará uma “ofensiva” internacional para obter apoio a produção dos biocombustíveis.

Segundo ele, o presidente da república está convencido de que os biocombustíveis seriam a melhor alternativa para a preservação ambiental e de que as empresas petrolíferas não teriam interesse na expansão do uso deste tipo de combustível.