Commodities

Petrobras não vê sinal de reajuste de combustíveis

A estatal busca convencer o governo, seu controlador, de um aumento nos preços dos derivados de forma a reduzir a defasagem entre os preços internacionais

Aprenda a investir na bolsa

RIO DE JANEIRO – A presidente-executiva da Petrobras (PETR3, PETR4), Maria das Graças Foster, afirmou nesta quarta-feira que não há sinal de que a empresa promoverá reajuste de combustíveis.

A estatal busca convencer o governo, seu controlador, de um aumento nos preços dos derivados de forma a reduzir a defasagem entre os preços internacionais – que ganharam mais força com a alta dólar – e os valores praticados no mercado interno por suas refinarias.

“Não tem, não tem sinalização”, disse Graça Foster, ao ser indagada sobre a iminência de um reajuste.

Aprenda a investir na bolsa

Questionada sobre a possibilidade de a estatal ficar sem aumentar o preço de gasolina e diesel até o fim deste ano, ela desconversou, afirmando que “faz parte da rotina cuidar da Petrobras”.

Com o crescimento acelerado da demanda por gasolina no Brasil nos últimos anos devido à expansão da frota de automóveis, a Petrobras passou de exportadora a importadora de gasolina. E as importações de petróleo também cresceram, para alimentar as refinarias que têm produzido em níveis cada vez mais perto de sua capacidade máxima, beirando 100 por cento de utilização.

O prejuízo da Petrobras com importações bilionárias tem sido alvo de forte preocupação de analistas de mercado.