Mercado

Petrobras avança com possível reajuste de gasolina até outubro

Ações ONs da estatal avançam 1,6% diante da sinalização de que o governo irá elevar o preço do combustível em cerca de 8%

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – As ações da Petrobras (PETR3; PETR4) abriram em alta no pregão desta segunda-feira (16), impulsionadas por novas indicações de que o governo irá realizar o reajuste no preço do combustível ainda este ano. Às 10h20 (horário de Brasília), os papéis ordinários da estatal avançavam 1,69%, a R$ 17,46, enquanto os preferenciais registravam valorização de 1,65%, a R$ 18,43. No mesmo horário, o Ibovespa avançava 1,22%, a 54.451 pontos. 

Segundo O Estado de S. Paulo apurou, o governo federal deve conceder um novo reajuste no preço da gasolina até o dia 21 de outubro. A data seria estratégica para o Palácio do Planalto pois o primeiro leilão do campo de petróleo e gás natural oriundo da camada de pré-sal em Libra (SP) será realizado pelo governo neste dia. A expectativa é que o preço seja elevado em cerca de 8% nas refinarias até a realização do leilão. 

De acordo com a equipe de análise da XP Investimentos, o reajuste é primordial para a equalização de contas da Petrobras, principalmente diante dos leilões do pré-sal. Como o leilão será feito sob o regime de partilha, a Petrobras será a operadora com 30% de participação mínima em todos os blocos que forem adquiridos por companhias privadas. E diante das dificuldades de caixa e do ambicioso programa de investimentos que a empresa precisa tocar nos próximos anos, o reajuste seria um sinal importante ao mercado. 

Aprenda a investir na bolsa

A grande discordância, apontam os analistas da corretora, ainda é a magnitude e a data do reajuste. Com a última leitura do IPCA em 6,1%, tem-se um espaço para que o aumento ocorra ainda este ano, uma vez que um incremento de cerca de 8% nos preços comprometeria 0,2 ponto percentual do índice inflacionário. 

Petrobras vende outro anúncio
Além disso, os papéis da empresa refletem o anúncio da venda de 100% das ações de sua controlada na Colômbia para a empresa franco-britânica Perenco por US$ 380 milhões. A Petrobras Colômbia tem participação em 11 blocos de exploração e produção em terra, com produção média líquida de 6,5 mil barris de óleo equivalente por dia.

Segundo a equipe da Planner Corretora, a notícia é positiva para a Petrobras, mas incapaz de impactar os preços das ações, em função do “pequeno” montante envolvido na transação. 

A venda faz parte de um plano de desinvestimento que soma US$ 9,9 bilhões entre 2013 e 2017. No mês passado, a empresa anunciou a venda de quatro ativos, cujo preço total somou US$ 2,1 bilhões, sendo eles: Innova Petroquímica, participação de 35% no bloco BC-10 (Parque das Conchas – Bacia de Campos), participações em três blocos de produção no Golfo do México e 20% do capital votante da Companhia Energética Potiguar, que controla duas usinas termelétricas no Rio Grande do Norte.