Pesquisa Ibope mostra recuo de Dilma após escândalos na Casa Civil

Petista caiu de 58% para 55% dos votos válidos, enquanto Serra passou de 28% para 31% e Marina ficou com 13%

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A uma semana das eleições, a pesquisa Ibope divulgada no sábado mostrou que as intenções de voto para Dilma Rousseff (PT) diminuíram de 58% para 55% dos votos válidos. Enquanto isso, José Serra (PSDB) passou de 28% para 31% e Marina Silva (PV) ficou com 13% da preferência do eleitorado. 

Na primeira pesquisa Ibope a cobrir todo o período de escândalos na Casa Civil, que envolveram a demissão da ministra Erenice Guerra, Dilma diminuiu em 5 pontos percentuais sua vantagem sobre a soma dos adversários, passando a 9 pontos. Questionados sobre as acusações no governo, 46% disseram entendê-las, mas pouco mais de um terço do total soube explicar o esquema de tráfico de influência.

Serra avança, mas Dilma continua favorita
Serra registrou maior crescimento nas regiões Sudeste e Nordeste, onde passou de 24% para 30% e de 16% para 20%, respectivamente. Na divisão por renda, ele melhorou sua performance entre todas as faixas. Seu melhor índice (34%) ocorre entre os que ganham mais de cinco salários mínimos, em que fica praticamente empatado com Dilma.

PUBLICIDADE

Apesar do bom desempenho do tucano, Dilma continua favorita. Em um eventual segundo turno, ela venceria por 54% a 32%. Além disso, 72% do eleitorado acredita que a candidata do PT sucederá Luiz Inácio Lula da Silva na Presidência.

Debate na Record
As denúncias de corrupção na Casa Civil também marcaram o último debate da Record entre os presidenciáveis, no domingo (26). O candidato do PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, acusou Dilma de ser “conivente ou incompetente” frente aos fatos que ocorreram em seu antigo gabinete.

A petista, por sua vez, afirmou que “ninguém está acima de suspeita” e disse que o mais importante é a investigação séria dos fatos. Foram discutidos também temas como educação, política externa e meio ambiente.