Popularidade em baixa

Pesquisa complica ainda mais situação de Dilma e traz novo fôlego ao “volta Lula”

Queda da popularidade veio em um momento já complicado para a presidente e deve ter efeitos sobre a sua capacidade de negociação no Congresso em meio à CPI da Petrobras

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A divulgação da última pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias) foi bem recebida pelo mercado, mas com certeza deve ter sido uma grande dor de cabeça para a presidente Dilma Rousseff. Mas como estes números devem se refletir no governo da presidente e em sua candidatura à reeleição em outubro?

A pesquisa mostrou que o percentual de pesquisados que consideram o governo de Dilma Rousseff bom ou ótimo caiu sete pontos percentuais em março deste ano na comparação com novembro de 2013 – indo de 43% para 36%. Foi a primeira vez, desde julho do ano passado, logo após os protestos na rua, que a presidente interrompeu a trajetória ascendente da avaliação positiva. 

O percentual dos entrevistados que aprovam a maneira da presidente Dilma de governar caiu de 56% para 51%, ao mesmo tempo que aquelas que desaprovam a maneira da atual presidente de governar subiu de 36% para 43%. A confiança na presidente Dilma diminuiu de 52% para 48%. O percentual que não confiam nela subiu no mesmo período de 41% para 47%. O índice dos que não souberam ou não quiseram responder essa pergunta também oscilou de 7% para 5%. 

PUBLICIDADE

Cabe destacar a opinião negativa a respeito da atuação do governo no combate ao desemprego e à inflação: 57% desaprovam o governo no combate ao desemprego, nível recorde desde início do governo Dilma. Também está no ponto mais alto a desaprovação ao combate à inflação: 71%.

Conforme aponta a LCA Consultores, esses números negativos chegam em um momento politicamente complicado para a presidente Dilma, justamente quando a oposição conseguiu apoio de senadores da base governista no Senado para instalar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) a fim de investigar a Petrobras (PETR3;PETR4) sobre a compra da refinaria de Pasadena, que saiu por um valor bem mais alto do que realmente valia. 

A queda da popularidade do governo reduzirá sua capacidade de enfrentar dissidências no Congresso, ou aumentará o custo, medido em termos de distribuição de cargos e verbas, para conter os rebelados. Prejudicará também a tentativa do governo de convencer alguns senadores a retirar assinaturas do requerimento de criação da CPI”, destacam os economistas da consultoria.

Além disso, apontam, os números ruins do Ibope devem também dar algum fôlego ao movimento “volta Lula”. Desta forma, Dilma está em uma situação bastante complicada em termos políticos.