Bastidores das urnas

Pesquisa agrada correligionários de Dilma, mas não preocupa aliados de Marina

Enquanto Falcão destaca positivamente o avanço de Dilma frente à ex-senadora, Feldman avalia que oscilações são comuns neste período; tucanos preferem o silêncio.

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A ligeira melhora de Dilma Rousseff, presidenciável do PT, em relação à Marina Silva na pesquisa CNT/MDA – divulgada nesta terça-feira – foi recebida com satisfação pelos petistas, mas não preocupou os aliados da ex-ministra do Meio Ambiente.

O levantamento mostrou que em um eventual segundo turno entre as duas candidatas, a presidente apareceria com 42%, contra 41% da socialista.

Indagado sobre o desempenho da candidata à reeleição na pesquisa de intenção de voto, Rui Falcão, presidente nacional do PT, destacou positivamente o avanço da petista e aproveitou para alfinetar a principal concorrente de Dilma na corrida ao Planalto.

PUBLICIDADE

“A onda marinheira é passageira e está perdendo a intensidade nas mesmas proporções que ganhou no último mês”, pontuou. “É evidente que Dilma deve ascender ainda mais nas próximas duas semanas”.

Por outro lado, Walter Feldman, coordenador de campanha de Marina, avalia que as oscilações em pesquisas são comuns, principalmente neste período que antecede a corrida eleitoral.

“Não podemos comparar pesquisas com metodologias diferentes. Está tudo dentro do ritmo e do previsto. Dilma e Marina continuam empatadas tecnicamente, isso não é ruim para Marina, já que ela foi atacada com frequência nas últimas semanas. Os ataques devem permanecer e continuaremos resistentes e resilientes”.

Procurados pela reportagem, líderes do PSDB, do candidato Aécio Neves que aparece na terceira colocação da disputa, preferiram permanecer em silêncio, mesmo com a ligeira melhora do candidato tucano na pesquisa. Numa simulação de 1º turno, Aécio detém 14,4%, ante 31,4% da petista e 23% da ex-senadora.