Entrevista

“Pedido de impeachment foi ilegal; houve desvio de poder”, diz Cardozo

Em entrevista concedida ao jornal O Globo, o ministro da Justiça volta a defender que o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff é "totalmente vazio"

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em entrevista publicada pelo jornal O Globo nesta quarta-feira (10), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, voltou a defender que o pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff representaria um ato de vingança do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e que, por isso, foi aberto de maneira ilegal e representa desvio de poder.

“É um pedido de impeachment sem motivo, com desvio de finalidade e, portanto, totalmente vazio”, afirmou ao jornal. “A vingança [na atitude de Eduardo Cunha pela abertura do processo] tem vários aspectos. O presidente da Câmara atribuía ao governo e, particularmente a mim, o fato de estar sendo investigado quando o que se faz neste governo é se garantir a autonomia da investigação. Posteriormente, havia publicamente uma situação em que ele exigia que o governo interferisse no Congresso para que fosse absolvido no Conselho de Ética, e o governo não fez isso”.

O ministro, que nos bastidores tem sido pressionado por parte da base política do governo pelos avanços das investigações como a Lava Jato e a Zelotes, também discordou da possibilidade de o ex-presidente Lula ser o foco das operações. Por fim, quando questionado sobre a deterioração das relações entre o Executivo e o Legislativo, ele negou e criticou a oposição: “o governo está aberto ao diálogo com todos, está disposto à pactuação com todos, mas há pessoas da oposição que acham que a tática correta é negar o diálogo, a possibilidade de pactuações, para que a crise se aprofunde e eles tenham dividendos na disputa de poder”.

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

Analista-chefe da XP diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

Aprenda a investir na bolsa