Pessimismo exagerado

“Passamos do Brasil mania para o Brasil fobia”, diz Alckmin em Nova York

Governador de São Paulo afirmou que pessimismo é exagerado, mas destacou a necessidade de Dilma de fazer reformas já no início do novo mandato

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Em nova York, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), criticou ontem o pessimismo exagerado sobre o Brasil. Em apresentação para investidores, ele afirmou que a presidente reeleita Dilma Rousseff deve fazer as reformas necessárias no país já no início do novo mandato, dando prioridade à reforma política. “Pessimismo é exagerado. Passamos do Brasil mania para o Brasil fobia”. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”

“Às vezes na imprensa, como na economia e na política, há muita ansiedade. Então às vezes nós vamos para os extremos. O Brasil de alguns anos atrás era a ‘bola da vez. E não era bem assim, havia um conjunto de desafios que não estavam vencidos”, disse. “Agora é o contrário. Vai tudo mal, um pessimismo total. E isso também não é verdade”.

Entre as prioridades, Alckmin destacou a reforma política. “Nós temos hoje no Brasil 32 partidos que disputaram a eleição. Três já obtiveram registro no tribunal e 26 estão pegando assinaturas. Poderemos chegar a 61, é inacreditável.”

PUBLICIDADE

Alckmin disse ainda que é preciso enfrentar rapidamente a questão fiscal para voltar “ao bom caminho do desenvolvimento”. “O país é vocacionado para crescer, mas precisa competir. O Brasil ficou caro antes de ficar rico”. 

Sobre a seca em São Paulo, ele falou que se trata de uma questão “bastante conjuntural”. “Conseguimos atravessar o período seco. Já estamos chegando no período das águas, garantido o abastecimento. Tivemos grande seca na Califórnia, grande seca na Austrália e grande seca em São Paulo e Minas Gerais, a maior seca dos últimos 84 anos”.