Política

Partido aliado de Dilma, PDT irá pedir “desmonte” do Banco Central, diz Valor

Partido deve aprovar carta em que sugere o "desmonte" do Banco Central e a substituição por novas estruturas de formulação de objetivos e de execução da política monetária

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O PDT (Partido Democrático Trabalhista) fará nesta terça-feira (10), às 10h (horário de Brasília), sua convenção nacional para tornar oficial o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. 

E, de acordo com informações do jornal Valor Econômico, o partido deve aprovar carta em que sugere o “desmonte” do Banco Central e a substituição por novas estruturas de formulação de objetivos e de execução da política monetária. Desta forma, o texto pretende servir como base para formular o programa do governo Dilma.

O texto, redigido pelo deputado Paulo Rubem Santiago (PE), diz que “não há como afirmar a supremacia do trabalhismo, do valor do trabalho, da produção, do conhecimento e da busca da igualdade na economia com modelos submissos ao gerencialismo tecnocrático e ao rentismo no comando das finanças públicas”; “o Banco Central continuará executando a política monetária, mas todas as demais etapas a ela antecedentes passam a ser formuladas pelo Executivo e pelo Congresso Nacional.” Ele também sugerirá uma mudança de diagnóstico sobre a inflação. 

Aprenda a investir na bolsa

O documento ainda crítica o baixo crescimento nacional: “Agora vemos que a longa escalada praticada pelo Banco Central com a elevação dos juros, alimentando a incorreta tese da inflação de demanda, colocou novamente a economia em baixa rotação e dinamismo, gerando-se material para fortes ataques do PSDB e do PSB-Rede, principais forças de oposição ao atual governo”. 

A presidente Dilma recebe sugestões e demandas de vários aliados, mas que não implica necessariamente que os pedidos serão incorporados ao programa de governo, destaca o jornal.