Para Temer, PMDB passa a ser uma “peça política indispensável” para 2010

Líder do partido garante que, em matéria da sucessão presidencial e alianças políticas, nada será feito sem o apoio do PMDB

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Satisfeito com os resultados obtidos nas eleições municipais deste ano, o presidente do PMDB, Michel Temer, afirmou que o partido agora passa a ser uma “peça política indispensável” em matéria da sucessão presidencial.

Segundo Temer, “nada importante em relação a acordos políticos para 2010 vai acontecer, a partir de agora, sem passar pelo PMDB”. Para ele, com o desempenho do último domingo, a legenda se encontra diante de uma situação privilegiada.

Dos 1.059 prefeitos eleitos pelo partido em 2004, em janeiro de 2009 esse número apresentará um crescimento de cerca de 13,5% para 1.202, passando a administrar uma área onde estão estabelecidos cerca de 28,8 milhões de eleitores.

A virada

Aprenda a investir na bolsa

Representando uma virada frente à posição anterior, na qual a chapa teria ficado com um papel mais “periférico”, Michel Temer garante que “sem o apoio do PMDB, será difícil outras forças fazerem alianças importante para 2010”.