Para Japão, países deveriam liberar estoques de alimentos para conter a crise

Em discurso na conferência da ONU em Roma, primeiro ministro japonês afirmou que o país irá liberar 300 mil toneladas de arroz

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Para o primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, outros países deveriam liberar os estoques de alimentos que possuem para conter a alta nos preços e diminuir os efeitos da crise.

Em um discurso feito nesta terça-feira (3), em um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), em Roma, para discutir a crise dos alimentos, Fukuda afirmou que o país irá liberar para o mercado mundial cerca de 300 mil toneladas de arroz importado e que outras nações deveriam seguir esse exemplo.

Investimentos em países do terceiro mundo

O primeiro-ministro também revelou na conferência que seu país irá aumentar a quantia destinada para ajudar os mais pobres a sobreviverem à crise dos alimentos.

Aprenda a investir na bolsa

O Japão pretende investir US$ 50 milhões em países em desenvolvimento para aumentar a produção da agricultura. Neste ano, o país asiático já anunciou que irá destinar US$ 100 milhões para nações africanas.

Fukuda informou também que pretende sugerir reformas na agricultura desses países, fazendo com que a capacidade de produção de arroz da África dobre em dez anos.