Pesquisa

Para 82% dos brasileiros, Moro “acertou” em aceitar convite para ser Ministro da Justiça

Instituto Paraná Pesquisas realizou pesquisa entre os dias 3 e 5 de novembro com 2.020 brasileiros

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A nomeação de Sérgio Moro para ministro da Justiça do presidente eleito Jair Bolsonaro é vista como um acerto por 8 em cada 10 brasileiros, apontou pesquisa do instituto Paraná Pesquisas realizada entre os dias 3 e 5 de novembro. Moro confirmou que aceitou o convite do presidente para integrar o Ministério na última quinta-feira (1).

Precisamente, a pesquisa aponta que 82,6% dos entrevistados responderam que Moro “acertou” em aceitar o convite de Bolsonaro – a única pergunta da pesquisa era: “Em sua opinião, o Juiz Sérgio Moro acertou ou errou em aceitar ser o novo Ministro da Justiça?”. Somente 14,6% acreditam que o juiz errou e 2,8% não souberam responder.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e tem grau de confiança de 95%. Esses números mudam nas análises regionais da pesquisa: na região Sudeste, a margem de erro é de 3,5%; é de 4,5% para a região Nordeste, 5,5% para a região Norte + Centro-Oeste e 6% para a região Sul.

É unânime entre homens e mulheres dos 25 aos 59 anos que a nomeação é uma boa medida do presidente eleito – considerando a média de três faixas etárias, dos 25 aos 34 anos (85%), 35 a 44 anos (85,5%) e 45 a 59 anos (85,5%) –, já que 85,3% se mostraram a favor. A rejeição à medida é maior entre os entrevistados de 60 anos ou mais, de 20%, e entre jovens de 16 a 24 anos, de 19,1%.

Outro dado interessante da pesquisa é que 87% dos que responderam à questão com “acertou” têm ensino superior; entre os que rejeitaram, predominam os que têm apenas ensino fundamental, com 19,9%.

A pesquisa foi realizada a partir de um questionário online com a base de contatos cadastrada do Instituto. Ela considerou uma amostra de 2.020 brasileiros, todos com 16 anos de idade ou mais, de 174 munícios diferentes nos 26 estados e Distrito Federal.

Ministro “indemissível”
A análise de especialistas da XP Política é de que a nomeação de Moro para o ministério tem “mais vantagens do que prejuízos para todos os envolvidos”: para Bolsonaro, foi um “golaço” trazer o juiz da Lava-Jato para seu time por conta da – agora comprovada – aprovação popular; deve-se considerar também, entretanto, que Moro passa a ser o segundo ministro “indemissível” do governo de Bolsonaro, o que, por definição, não é positivo. 

“Politicamente, no curto prazo, não devemos ver resistências abertas ao governo Bolsonaro por conta da nomeação de Moro. É evidente que nos corredores do Congresso Nacional há quem esteja contrariado/apreensivo, porém não devemos observar reações ou desembarques da futura base”, escreveu a XP Política.

A hora de investir na Bolsa é agora: abra uma conta na Clear com taxa ZERO de corretagem!

Aprenda a investir na bolsa

PUBLICIDADE