Operação Lava Jato

Palocci pode fazer delação, diz jornal; fala da Odebrecht deve gerar mais de 100 inquéritos pelo Brasil

Principal interlocutor do governo de Lula e Dilma com os empresários, um eventual acordo de delação de Palocci teria um potencial mais do que explosivo

SÃO PAULO – O ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda Antonio Palocci, preso em Curitiba por conta da Operação Lava Jato, estuda a hipótese de fazer delação premiada, afirma coluna de Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Principal interlocutor do governo de Lula e Dilma com os empresários, um eventual acordo de delação do petista teria um potencial mais do que explosivo. O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, nega a possibilidade de delação. 

Ainda segundo o jornal, a delação premiada da Odebrecht deve originar mais de cem inquéritos espalhados pelo país, de acordo com estimativas da Lava Jato. O jornal aponta que a colaboração da empreiteira será um marco não só pela extensão das denúncias, mas pelo efeito que terá sobre o futuro da operação.

Por outro lado, com tantos “filhotes” distribuídos em diferentes Estados e esferas judiciais, a força-tarefa em Curitiba teme que a pulverização limite a transparência dos casos, desacelere o ritmo das investigações e resulte em prescrição de crimes, diz a publicação.