Debate

Painel WW: “falam que essa é a terra do futebol e do samba. Aqui não, esse é um País violento”

Debate mediado por William Waack tratou da violência e os desafios do Brasil na área de segurança pública

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O Painel WW, apresentado por William Waack, debateu na última sexta-feira (21) a questão da violência e os desafios do Brasil na área de segurança pública. Para o convidado Maurício Pestana, jornalista e diretor da revista Raça, primeiro é preciso admitir que este é um País que sempre foi violento.

“Temos que admitir. Falam que essa é a terra do futebol, do samba, da alegria e da harmonia. Aqui não, esse é um país que sempre foi violento”, afirmou. Ele lembrou ainda do fácil acesso à armas que se tem por aqui: “se fala muito dos EUA, que qualquer um tem acesso à armas, mas aqui no Brasil também é assim”.

Neste cenário, a diretora-executiva da ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, também comentou que a melhor solução para resolver o problema é a repressão ao comércio ilegal de armas, já que boa parte do acesso se dá não só pelo tráfico internacional, mas também de armamento obtido dentro das nossas fronteiras.

PUBLICIDADE

Pestana também acredita que a questão da violência é algo histórico no Brasil e afeta principalmente os negros, em um debate que parte também do preconceito enraizado na sociedade. E isso pesa também na atuação não só da Polícia Militar, mas até mesmo de seguranças particulares. Participou ainda do debate o consultor de segurança pública e coronel da reserva da PM-SP, José Vicente da Silva Filho.

Para Samira, o Brasil sofre de um racismo estrutural, que afeta diferentes classes, sendo, por exemplo, que 6 em cada 10 policiais mortos são negros. Segundo a diretora da ONG, ou o Brasil cria política públicas com recortes raciais e de gênero, ou não conseguirá enfrentar o problema da violência.

Confira o debate: