PAC: Lula cobra mais agilidade nas obras, segundo ministro da Integração

Presidente diz que programa é bom para crise, pois gera empregos; algumas obras vão acabar no próximo mandato

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu nesta quinta-feira (9) com presidentes de bancos públicos, com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e com outros ministros da área de infra-estrutura para discutir sobre as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Segundo o ministro da Integração Nacional, Geddel Viera Lima, o presidente Lula cobrou mais agilidade nas obras para que elas se concretizem. “Trabalho, trabalho e trabalho permanentemente, agilidade nas obras para que as coisas aconteçam e saiam do papel”, reportou Lima.

Lula afirmou que o PAC é um importante componente para enfrentar a crise financeira, uma vez que as obras geram empregos, de acordo com o ministro. “Essa cobrança agora mostra claramente a preocupação que nós todos temos de ter, de trabalharmos conjuntamente para aquecermos a economia na medida em que o prazo de mandato vai se esgotando. Todos temos que nos preocupar em acelerar as obras”, disse.

Próximo mandato

PUBLICIDADE

O ministro ressaltou que não há nenhum problema específico em relação às obras, o presidente apenas teria passado uma orientação. Mesmo assim, Lima afirmou que há a possibilidade de algumas obras serem terminadas durante a gestão do próximo presidente.

“Há muitas obras sendo inauguradas, muitas obras avançando, algumas coisas serão inauguradas, outras serão deixadas para o próximo presidente, afinal de contas, o mundo não vai acabar em 2010”, concluiu.