Tomou posse

Os pontos que chamaram atenção no discurso do novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy

Em análise, a LCA Consultores destaca que o ministro foi cuidadoso para não contradizer Dilma, mas reafirmou a prioridade ao ajuste fiscal

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ministério da Fazenda tem um novo comandante: Joaquim Levy. Com um discurso cuidadoso para não contradizer as palavras e os compromissos externados pela presidente Dilma Rousseff na posse, o novo titular da Fazenda reafirmou a prioridade ao ajuste fiscal, conforme destaca a LCA Consultores.

Os economistas destacam que a prioridade ao ajuste ocorre pois o equilíbrio das contas das contas públicas é “imperativo (…) para o crescimento econômico e social e para o desenvolvimento sustentável”, conforme afirmou Levy em seu discurso.

E ele também voltou a ressaltar que o ajuste fiscal e a manutenção dos programas sociais são compatíveis, além de reiterar a ideia já empregada por ele que o Tesouro não é capaz de dar conta de todos os problemas da economia brasileira.

Aprenda a investir na bolsa

A LCA ressalta ainda a sinalização do ministro de que o ajuste fiscal, que “já começou”, requererá possivelmente aumento de tributos “especialmente aqueles que tendam a aumentar a poupança doméstica e reduzir desbalanceamentos setoriais da carga tributária”. “Resta saber quais tributos atendem esses atributos”, afirma a consultoria.

Já com relação à nova equipe, a maioria é proveniente da burocracia pública e já ocupou cargos importantes na própria Fazenda. A exceção é o economista Afonso Arinos de Melo Franco Júnior, cuja carreira é essencialmente acadêmica, ressalta a consultoria.