Perspectivas

Os dois “medos” do mercado e outros 5 eventos que vão agitar a próxima semana

No exterior, mercado fica atento ao plano fiscal de Trump, enquanto por aqui a Previdência e a temporada de resultados é destaque

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após atingir sua quarta semana seguida de perdas, o Ibovespa promete manter o clima de tensão de olho em dois pontos principais: a luta do presidente Michel Temer para conseguir fazer a reforma da Previdência andar, enquanto no exterior o mercado segue atento ao plano de corte de impostos de Donald Trump.

Após finalmente encerrar as especulações com o nome do futuro presidente do Federal Reserve – com Jerome Powell sendo o escolhido -, o plano tributário de Trump se tornou o principal foco de atenção do mercado americano. Nos últimos dias, boatos de que o Senado quer adiar a implementação do plano ajudou a derrubar os mercados e fez o dólar ganhar força no mundo todo.

No cenário doméstico, a política voltou a ficar agitada esta semana com as idas e vindas sobre a Previdência e, mais recentemente com a decisão de Aécio Neves de destituir Tasso Jereissati da presidência do PSDB, ampliando o racha no partido. Esta decisão pode afetar diretamente a votação da reforma da Previdência conforme o governo tenta apoio para passar o texto, que deve passar por mudanças.

PUBLICIDADE

O governo corre contra o tempo para obter os votos restantes para a reforma. Segundo alguns veículos da imprensa, o Planalto já teria 280 votos na Câmara e tenta obter os 28 restantes para ter placar mínimo ou 50 para ir a voto com margem. Meirelles saiu quinta-feira das reuniões com parlamentares tentando mostrar otimismo, dizendo que reforma será votada neste ano e que há empenho de lideranças com a proposta.

Outros eventos
Enquanto a B3 fica fechada na quarta-feira (15) por conta do feriado de Proclamação da República, não faltarão elementos para o mercado balizar suas expectativas em relação ao desempenho econômico e às políticas monetárias das principais economias globais na próxima semana, principalmente nos EUA.

O governo americano divulga os dados de inflação do CPI e PPI, na terça-feira (14), além das vendas no varejo e quarta-feira (15), todos às 11h30 (horário de Brasília). Ainda nos EUA, os dirigentes do Fed farão pronunciamentos, com destaque para a Janet Yellen, em evento dia 14. No mesmo dia falam ainda o presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, e o presidente do Bank of Japan, Haruhiko Kuroda.

Na China, destaque para os dados de varejo e produção industrial, além dos números de investimento esrtangeiro. Já na zona do Euro, saem os dados do PIB, a inflação medida pelo CPI e os números da indústria local.

A agenda doméstica tem como destaque os dados de vendas no varejo de setembro. A estimativa compilada pela Bloomberg é de alta de 0,2% na comparação mensal e de 4,5% na anual. Ainda existe possibilidade de divulgação da arrecadação de outubro. Além disso, os investidores ficam de olho no fim da temporada de resultados, com mais de 40 balanços, incluindo Petrobras, JBS, Marfrig e Eletrobras.