Fique de olho

Os 5 assuntos que você precisa saber antes de operar nesta quarta-feira

Tensões envolvendo uma possível saída de Joaquim Levy do ministério da Fazenda crescem, dados da China chamam a atenção e projeto da repatriação segue na pauta do Congresso

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Em dia sem muitos indicadores no Brasil, o mercado segue especulando sobre a possível saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, do governo Dilma Rousseff. Enquanto algumas fontes negam saída do ministro, jornais relatam articulações envolvendo
conversas de Henrique Meirelles com políticos, respaldadas por Lula. No noticiário internacional, destaque para os dados da China e à espera pela fala de Mario Draghi na Europa. 

Confira os 5 principais assuntos que vão agitar o pregão desta quarta-feira:

1) Bolsas mundiais
O dia é de leves altas para as bolsas asiáticas, com os investidores apostando em mais estímulos após dados mistos mostrarem que o crescimento do gigante asiático continua, na melhor das hipóteses, com pouca força. Xangai subiu 0,27% e o Nikkei teve alta de 0,10%. Enquanto isso, as bolsas europeias registram fortes ganhos, à espera da fala do presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, às 11h15 (horário de Brasília) e repercutindo os números chineses. No noticiário corporativo, destaque para o lançamento da oferta da Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, para a SABMiller de mais de US$ 100 bilhões. A empresa concordou com a venda da fatia da rival na norte-americana MillerCoors, em uma tentativa de obter aprovação regulatória para a união.

Aprenda a investir na bolsa

2) Levy na corda bamba
Com o crescimento dos rumores de uma possível saída de Joaquim Levy do comando do Ministério da Fazenda, o mercado segue no aguardo de definições mais claras sobre qual será o futuro da política econômica brasileira. O ex-presidente Lula e alas importantes do PT não escondem a insatisfação com o ajuste fiscal implementado pelo ministro. Recentemente, a imprensa tem noticiado articulações envolvendo o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles – cotado como nome preferido do antecessor de Dilma para a Fazenda.

3) Repatriação: hoje vai?
Após novo adiamento na noite de ontem, a votação do projeto conhecido popularmente como “repatriação” pode ocorrer nesta quarta-feira. projeto de regularização de ativos lícitos no exterior é uma das esperanças do governo na execução do ajuste fiscal, mas no entanto ele é cercado por polêmica, por anistiar cidadãos que cometeram as irregularidades de sonegação fiscal e evasão de divisas. Especialistas estimam que a iniciativa renda algo entre R$ 70 bilhões e R$ 150 bilhões.

Ontem, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que a Casa pode votar o projeto se a Câmara dos Deputados não votar texto com conteúdo semelhante até hoje. 

4) Dados da China 
Vale ficar de olho na repercussão de nova bateria de dados da China aqui no Brasil. O crescimento do índice de produção industrial da China, que mede a atividade nas fábricas, oficinas e minas do país, caiu para o nível mais baixo dos últimos seis meses em outubro, anunciou hoje (11) o Gabinete Nacional de Estatísticas. A taxa foi 5,6%, ligeiramente abaixo da marca de 5,7% registrada em setembro. As vendas no varejo, um indicador-chave do consumo, cresceu 11%, o valor mais alto desde dezembro de 2014, quando avançou 11,9%.

5) Temporada de resultados
Dando continuidade à temporada de divulgação de balanços corporativos referentes ao exercício do terceiro trimestre, ao menos 13 companhias deverão prestar contas com seus investidores. Entre elas, destacam-se os números de JBS, Gol e Cosan. Além dos demonstrativos inéditos, outras sete empresas farão teleconferência com o mercado. Neste grupo, chamam atenção Minerva e Rossi. Para ver a lista completa, clique aqui.


PUBLICIDADE

É hora ou não é de comprar ações da Petrobras? Veja essa análise especial antes de decidir:

 

Leia também:

Você investe pelo banco? Curso gratuito mostra como até dobrar o retorno de suas aplicações