Agenda

Os 4 assuntos quentes que vão agitar o mercado nesta quinta-feira

As quatro derrotas do governo, reabertura de bolsa da China e outras notícias no radar

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Esta quinta-feira (8) será um dia decisivo no mercado. Depois de sete altas consecutivas do Ibovespa, há analistas que esperam uma correção com o TCU (Tribunal de Contas da União), reprovando as contas de 2014 do governo Dilma, a primeira vez na história da redemocratização em que um presidente tem as suas contas reprovadas. O dia ainda deve ter uma volatilidade adicional por conta da reabertura das bolsas chinesas após o feriado. 

Confira os 5 assuntos quentes que vão movimentar o pregão desta quinta:

1. Decisão do TCU
Após 3 horas do início da sessão, o TCU decidiu por unanimidade rejeitar as contas do governo Dilma Rousseff em 2014. O relator do caso, Augusto Nardes, fez a leitura das conclusões do relatório recomendando a rejeição das contas, sendo seguido pelos outros ministros. Com isso, Dilma se torna a primeira presidente desde 1937, época do governo de Getúlio Vargas, a ter suas contas rejeitadas pelo TCU. 

PUBLICIDADE

2. Reabertura das bolsas chinesas
As bolsas chinesas reabriram nesta quinta depois de passarem uma semana fechadas em razão de feriado. A bolsa de Xangai foi na direção contrária dos demais índices do continente, principalmente porque o mercado da China continental não participou da disparada das bolsas mundiais nos últimos dias, motivada pelas expectativas de que o Federal Reserve não eleve os juros dos Estados Unidos este ano.

3. Quatro derrotas do governo
As expectativas de que a reforma ministerial agradasse ao PMDB e tirasse tensão política do cenário foram completamente infundadas. Ontem o governo acumulou quatro derrotas consecutivas: a primeira com o adiamento da análise dos vetos de Dilma a pautas bomba no Congresso. A segunda foi o STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitando o pedido do governo contra o relator do processo das “pedaladas fiscais” no TCU, Augusto Nardes. A terceira foi a própria rejeição das contas de Dilma no TCU. E a quarta, por fim, foi o aumento da possibilidade de impeachment com o a aprovação da ação do PSDB no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que pede a impugnação da chapa Dilma-Temer por irregularidades na campanha de 2014. 

4. Ata do Fomc
O Federal Open Market Committee (semelhante ao nosso Copom) divulga hoje a ata da sua última reunião, na qual decidiu pela manutenção das taxas de juro inalteradas nos EUA na banda entre 0% e 0,25%. A divulgação de dados fracos da economia norte-americana nos últimos tempos reduziu as perspectivas de que os EUA tenham um aumento de juros ainda este ano, mas tudo depende do que os membros do Federal Reserve irão falar nesta ata.

Quanto custariam suas ações em dólar? Deixa seu email e descubra: