Oposição protocola pedido para criação de CPMI dos cartões corporativos

Disputa agora é entre governo e oposicionistas por conta da presidência da comissão; Neuto de Conto é o mais cotado

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os senadores e deputados da oposição aceitaram apoiar a realização de uma CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) para investigar o uso de cartões corporativos e já protocolaram na Secretaria-Geral da Mesa do Senado um requerimento para sua criação.

O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia, disse que o pedido de instalação da CPMI foi assinado por 189 deputados e 35 senadores, número superior ao mínimo necessário. O autor do requerimento é o deputado tucano Carlos Sampaio.

A CPMI pretende investigar os gastos do Governo com cartão corporativo desde a sua criação, em 1998, no governo de Fernando Henrique Cardoso. O próprio ex-presidente encaminhou carta ao presidente do PSDB em que afirma não temer uma investigação por nunca ter usado recursos públicos para financiar despesas pessoais.

Disputa pela presidência

Aprenda a investir na bolsa

O senador Neuto de Conto, do PMDB, já aceitou o convite do partido para ser o presidente da comissão. O parlamentar tomou a decisão mesmo sem a CPMI estar oficialmente criada e em meio à disputa entre Governo e oposição por conta da sua presidência e relatoria.

Regimentalmente, cabe aos partidos com maior representação na Casa – PT e PMDB – dividir o comando da CPMI. No entanto, a oposição alega que uma comissão criada para investigar o governo e formada por partidos da base do governo não irá investigar a fundo os gastos com cartões corporativos.

Os líderes dos partidos da oposição se reúnem ainda nesta tarde para definir uma estratégia de modo a conseguir um dos cargos de comando da comissão.