Política

Oposição pede impeachment de Dilma no Planalto e PRB é o primeiro a abandonar governo

Oposicionistas gritam: "olê olê olá, ladrão, ladrão", ironizando o famoso grito de guerra dos petistas "olê olê olê olá, Lula, Lula"

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após vir à tona o conteúdo de um diálogo telefônico entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff, deputados da oposição e dissidentes da base governistas cobraram no plenário da Câmara a renúncia da chefe do Executivo, enquanto o PRB anunciou que deixaria a base aliadada. 

Na Câmara, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) causou um tumulto nesta noite ao colocar no sistema de som do Plenário da Casa o áudio interceptado do telefonema de Dilma e Lula. A sessão estava esvaziada em virtude da reunião de líderes, que acontece na Presidência da Casa, para discutir a votação da comissão especial do impeachment, amanhã. Mas, com o tumulto, os parlamentares de oposição e governistas correram para o Plenário para acompanhar o protesto.

Neste momento, a oposição grita e impede o discurso do líder do PT, deputado Afonso Florence (PT-BA). Oposicionistas gritam: “olê olê olá, ladrão, ladrão”, ironizando o famoso grito de guerra dos petistas “olê olê olê olá, Lula, Lula”. Também gritam “Lula na cadeia”. 

PUBLICIDADE

Ao mesmo tempo, o presidente da base do PRB, Marcos Pereira, anunciou que o partido deixará a base aliada do governo e colocará o Ministério do Esporte, atualmente ocupado por George Hilton (PRB), à disposição da presidente. “Não vemos norte para a situação do país”, justificou Pereira. 

O rompimento coloca fim a uma união política de mais de uma década, já que o PRB participou do governo Lula com o vice-presidente José Alencar, morto em 2011 e o maior ícone do partido. O partido também assumiu três ministérios durante os governos Lula e Dilma. O primeiro foi a Secretaria de Planejamento de Longo Prazo da Presidência da República, que tinha status de ministério, em 2006, com o filósofo, economista e professor na Universidade de Havard (EUA), Roberto Mangabeira Unger.