Oposição alega campanha antecipada de Lula e Dilma e entra com ação no TSE

Já são mais de cinco representações do tipo no TSE contra presidente e ministra; o tribunal já arquivou uma delas

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os partidos da oposição ao governo ingressaram no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com mais uma representação contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Segundo a ação, os dois estariam ferindo lei que proíbe campanha eleitoral antes do dia 5 de julho. Em evento realizado em São Paulo, Lula mencionou indiretamente sua candidata à sucessão, o que incomodou DEM, PSDB e PPS.

“Quem vier depois de mim e eu, por questões legais, não posso dizer quem é, espero que vocês adivinhem, espero, quem vier depois de mim já vai encontrar um programa pronto, com dinheiro no Orçamento, porque eu estou fazendo o PAC 2 porque eu preciso colocar dinheiro no Orçamento para 2011, para que as pessoas comecem a trabalhar”, disse Lula na última semana.

Aprenda a investir na bolsa

Muitos adjetivos
Para os oposicionistas, Lula usa “muitos adjetivos” para “projetar a ministra como sua sucessora ao Palácio do Planalto”. “Não é pelo fato de não ter havido expressa referência ao pleito presidencial vindouro e nem a votos que a característica de propaganda eleitoral fica afastada”, afirma a representação.

As ações contra o presidente e a ministra já são mais de cinco no TSE. O tribunal arquivou uma delas, quando o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, disse que a inauguração de obras do governo federal não configura propaganda eleitoral antecipada. Ainda não há manifestaçãio sobre as outras representações.