Operação Lava Jato

Odebrecht reitera a Moro que Lula é o “amigo” da planilha e que recebeu dinheiro em espécie

Odebrecht apontou que os saques para Lula teriam sido identificados na tabela "Programa B"; "B" é uma referência a Branislav Kontic, que retirava o dinheiro em espécie e entregava ao petista, afirmou o empresário.

SÃO PAULO – Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o empresário Marcelo Odebrecht confirmou que o ex-presidente Lula é o ‘amigo’ da planilha de propinas milionárias da empreiteira e ainda disse que ‘Italiano’ – alcunha também lançada na planilha – é uma referência ao ex-ministro Antônio Palocci (Fazenda/Casa Civil/Governos Lula e Dilma) e ‘Pós Itália’ referência a Guido Mantega, que também ocupou a pasta da Fazenda. 

Odebrecht também confirmou todos os repasses anotados na planilha do Setor de Operações Estruturadas, que ficou conhecida como departamento de propinas da empreiteira.

A primeira versão da planilha, de 31 de junho de 2012, informa que havia R$ 23 milhões à disposição de Lula, identificado pelo codinome “Amigo”. A segunda versão, datada de 31 de março de 2014, aponta um saldo de R$ 10 milhões para o codinome “Amigo”. Segundo o depoimento, a diferença de R$ 13 milhões teria sido sacada entre os 21 meses que separam as duas versões do documento. Odebrecht apontou que os saques para Lula teriam sido identificados na tabela “Programa B”. “B” é uma referência a Branislav Kontic, que retirava o dinheiro em espécie e entregava ao petista, afirmou o empresário. 

PUBLICIDADE

Ele falou sobre R$ 4 milhões que teriam sido repassados ao Instituto Lula e na soma de R$ 12,4 milhões supostamente investidos na compra do prédio do Instituto, informa o Estadão. Ele também abordou a cifra de R$ 50 milhões em propinas para Mantega que teriam sido usados na campanha de Dilma. 

As informações foram divulgadas pelo site O Antagonista e confirmadas pelo jornal O Estado de S. Paulo e pelo jornal O Globo

O juiz tem mantido os depoimentos da Odebrecht em sigilo, com o argumento de que é preciso esperar que o sigilo seja levantado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Ontem, porém, o juiz foi surpreendido com o vazamento de informações do depoimento de Marcelo Odebrecht ao site Antagonista, ainda durante a audiência. O aviso foi dado pelo advogado José Roberto Batocchio, que representa Lula, Palocci e Mantega.