Lava Jato

Odebrecht diz que documento usado em prisão era de compra de títulos

Documento “não se trata de depósito feito pela Odebrecht para o Pedro Barusco"

(SÃO PAULO) – Documento apresentado como uma das provas para justificar a prisão de executivos, em 19/junho, pela Operação Lava Jato, “não se trata de depósito feito pela Odebrecht para o Pedro Barusco e sim a aquisição de títulos da Odebrecht no exterior por Pedro Barusco”, segundo comunicado da Odebrecht por e-mail neste sábado.

Juiz Sergio Moro reconhece que o documento “requer maiores esclarecimentos e que não se constitui em pagamento de propina”, diz Odebrecht no comunicado.

Presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez foram presos em nova fase da Lava Jato.

PUBLICIDADE

Executivos sabiam de tudo, dizem Polícia Federal e MPF.

Odebrecht diz que “mandados são desnecessários” uma vez que cia. sempre esteve à disposição de colaborar.

Newton de Souza terá funções executivas interinamente, disse Odebrecht em 19/junho, negando que Souza tenha sido nomeado presidente do grupo.

A Moody’s coloca ratings da Odebrecht em revisão para rebaixamento.

Leonardo Lara

Esta matéria foi publicada em tempo real para assinantes do serviço Bloomberg Professional.