Delação premiada

Odebrecht delata ter pago caixa 2 em dinheiro vivo para campanhas de Alckmin, segundo jornal

Segundo a publicação, os executivos da empreiteira mencionaram duas pessoas próximas ao governador como intermediárias dos repasses

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após fecharem acordo, as primeiras informações sobre a delação premiada dos executivos da Odebrecht começam a ser divulgadas. Nesta sexta-feira (9), o jornal Folha de S. Paulo afirma que a empreiteira diz ter pago caixa dois, em dinheiro vivo, para as campanhas de 2010 e 2014 do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Segundo a publicação, os executivos da empreiteira mencionaram duas pessoas próximas ao governador como intermediárias dos repasses e afirmaram que não chegaram a discutir o assunto diretamente com Alckmin. No total, R$ 2 milhões em espécie teriam sido repassados ao empresário Adhemar Ribeiro, irmão da primeira-dama, Lu Alckmin.

Sobre a campanha de 2014, na reeleição de Alckmin, o caixa dois teve como um dos operadores, segundo a empreiteira, o hoje secretário de Planejamento do governo paulista, Marcos Monteiro, político de confiança do governador. Na época das negociações dos recursos, ele seria chamado de “MM” pelos funcionários da Odebrecht, diz a matéria.

Aprenda a investir na bolsa

A Folha diz ter procurado o governador, que afirmou, por meio de sua assessoria, que “é prematura qualquer conclusão com base em informações vazadas de delações não homologadas”. “Apenas os tesoureiros das campanhas, todos oficiais, foram autorizados pelo governador Geraldo Alckmin a arrecadar fundos dentro do que determina a legislação eleitoral”, diz nota.