Obama oficializa sua equipe econômica e confirma nomes de Geithner e Summers

Presidente-eleito diz que procurou experiência e visão para 'trazer a América de volta aos trilhos'; Barnes e Romer também na lista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O presidente-eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, oficializou na tarde desta segunda-feira (24) os nomes que integrarão sua equipe econômica. Dentro do esperado, Obama confirmou Timothy Geithner para o posto de secretário do Tesouro e Lawrence Summers como chefe do Conselho Econômico Nacional.

Os dois nomes já haviam sido antecipados pela mídia internacional. O grande destaque fica por conta do substituto de Henry Paulson no Departamento de Tesouro. O anúncio de Geithner, atual presidente do Federal Reserve de Nova York, foi bem recebido. Mesmo apontado como favorito ao posto, o aparecimento de seu nome rendeu forte rali a Wall Street no final da última sexta-feira, além de comentários favoráveis dos analistas.

“O vice-presidente eleito – Joe Biden – e eu formamos a equipe econômica a partir da visão e experiência necessárias para estabilizar nossa economia, criar empregos e trazer a América de volta aos trilhos”, afirmou Obama no anúncio oficial. Paralelamente, confirmou que o Congresso norte-americano deve votar o novo pacote de estímulo econômico já em janeiro.

Aprenda a investir na bolsa

Além dos nomes de Summers e Geithner, foram anunciados Christina Romer para diretoria do conselho de assessores econômicos e Melody Barnes para o posto de conselheiro de política interna.



Timothy F. Geithner

É presidente do Federal Reserve de Nova York desde novembro de 2003, além de membro do Fomc (Federal Open Market Committee), comitê que decide a política monetária dos EUA. Ele também atuou no Departamento de Tesouro norte-americano em 1988 e por mais cinco administrações passando por vários cargos. Entre 1999 e 2001, atuou como subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais nas administrações dos secretários Robert Rubin e Lawrence Summers.

Foi diretor do Departamento de Desenvolvimento Político e Revisão do FMI (Fundo Monetário Internacional) de 2001 até 2003. Antes de aderir ao Tesouro, Geithner trabalhou para a Kissinger Associates Inc.




Lawrence H. Summers

PUBLICIDADE

É professor da Universidade de Harvard, instituição que também presidiu de julho de 2001 até junho de 2006. Antes, entre 1991 e 1993, foi economista chefe do Banco Mundial. Lá trabalhou no desenho de estratégias para ajuda a países em desenvolvimento, serviu no comitê de empréstimos do banco e guiou o setor de pesquisa bancária e estatística. A sua pesquisa esteve focada na demonstração da influência do alto retorno do investimento na educação em meninas nos países em desenvolvimento. Em 1993, foi nomeado subsecretário do Tesouro. Em 1995 e 1997, atuou em conjunto com Rubin no desenho de respostas às crises financeiras do México e da Ásia.

Entre 1999 e 2001, serviu como secretário do Tesouro na administração de Bill Clinton, depois da saída de Robert E. Rubin. Durante seu mandato, o governo norte-americano recomprou títulos da dívida com o uso de excesso de recursos do orçamento pela primeira vez desde a década de 1920. Liderou esforços para modernizar o sistema financeiro e, internacionalmente, trabalhou para inserir a China na OMC (Organização Mundial do Comércio).