AO VIVO Radar InfoMoney: Bancos disparam na Bolsa com dados de crédito e HSBC saltando no exterior; assista ao programa desta segunda

Radar InfoMoney: Bancos disparam na Bolsa com dados de crédito e HSBC saltando no exterior; assista ao programa desta segunda

Política

OAB irá protocolar pedido de impeachment de Dilma na segunda-feira

A decisão de entrar com o pedido foi tomada na última sexta, quando o Conselho Federal da OAB tomou a decisão com o voto favorável de 26 das 27 bancadas de conselheiros

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A OAB deve protocolar na próxima segunda-feira (28) seu pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, segundo informações da coluna Radar On-line, da Veja. Segundo a publicação, o documento será assinado pelo presidente da entidade, Claudio Lamachia, e, para evitar Eduardo Cunha, será entregue no protocolo da Câmara.

A decisão de entrar com o pedido foi tomada na última sexta-feira (18), quando o Conselho Federal da OAB tomou a decisão com o voto favorável de 26 das 27 bancadas de conselheiros. Segundo a publicação, os motivos para o impedimento, segundo a peça, serão, além das pedaladas, a renúncia fiscal concedida à FIFA e a nomeação de Lula à Casa Civil.

Na data, Lamachia, afirmou que “mais uma vez a OAB demonstra seu compromisso com a democracia. A decisão do Pleno Conselho Federal representa a manifestação colhida nas seccionais da OAB, mas não nos traz qualquer motivo para comemoração. Gostaríamos de estar a comemorar o sucesso de um governo, com êxito na educação, na saúde, na segurança e na justiça social para toda a sociedade”.

PUBLICIDADE

Lamachia afirmou ainda que as 27 Seccionais da OAB foram consultadas e estiveram envolvidas no debate. “Antes desta reunião, as OABs estaduais consultaram suas bases e 24 Estados se posicionaram previamente favoráveis ao pedido de impeachment. Este foi, acima de tudo, um processo democrático, responsável e técnico. A OAB pratica e defende a democracia. Esta é uma decisão marcadamente majoritária que demonstra a união da advocacia brasileira em torno do tema”, afirmou o presidente.