Conexão Brasília

O que a reforma da Previdência revela sobre os conflitos internos brasileiros?

O programa Conexão Brasília é transmitido ao vivo, às sextas-feiras, a partir das 14h45; assista

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O governo realmente resolveu colocar o time em campo e chamar os reservas para o aquecimento. As articulações em torno da conquista dos votos necessários para a aprovação da reforma da Previdência agora perpassam as mais diversas esferas do campo político em um conjunto articulado de estratégias. O jogo, porém, está caminhando para o fim. É escanteio para a equipe de Michel Temer e, nos acréscimos, até o goleiro resolveu ir para a área adversária. São necessários 308 votos para aprovar a PEC 287 (que trata de mudanças nas aposentadorias), apoio que o governo não tem.

Em contraste com resistências do “centrão” e partidos como o PSDB, em meio à aproximação das eleições, a estratégia é continuar esticando a corda. Na última quinta-feira (7), foi anunciada a data para a votação em primeiro turno da medida: 18 de dezembro, na última semana de atividades legislativas antes do recesso. Os riscos são elevados, mas nada impede também de novas mudanças na data. O ceticismo ainda é muito grande entre os analistas políticos. Quais seriam as reais chances de aprovação da reforma da Previdência? Esta é a grande pergunta de milhões de reais que circula nas mesas de operações.

Para analisar estes e outros temas que movimentaram o noticiário político, o programa Conexão Brasília desta sexta-feira (8) recebe o economista Marcos Fernandes, professor da FGV/EAESP, especialista nas áreas de economia política, políticas públicas e corrupção. Também participa da transmissão o analista político Paulo Gama, da XP Investimentos. O programa é transmitido ao vivo, a partir das 14h45 (horário de Brasília), e pode ser acompanhado pelo vídeo abaixo:

Aprenda a investir na bolsa