“O governo fará Belo Monte”, afirma Lula sobre leilão de usina hidrelétrica

Declaração vem após desistência de consórcio liderado por Camargo Côrrea e Odebrecht de participar de leilão, marcado para dia 20

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O leilão para a usina hidrelétrica de Belo Monte irá ser realizado com ou sem consórcios, e está errado quem apostar contra o governo, disse nesta tarde o presidente do País, Luiz Inácio Lula da Silva. “Uma coisa vocês podem estar certos: nós vamos fazer Belo Monte. Isso é importante que fique claro em alto e bom som. Entrem ou não entrem” os consórcios na disputa, afirmou em entrevista após almoço no Palácio do Itamaraty.

A declaração é uma resposta à decisão anunciada pelo consórcio liderado pela Camargo Corrêa e pela Odebrecht na noite da última quarta-feira (7) de deixar a disputa do leilão, marcado para 20 de abril, alegando que a tarifa estipulada como preço-teto para o leilão, de R$ 83,00 o megawatt-hora, era muito baixa. 

“Nós precisamos encontrar o preço justo e não o preço que alguém quer nos impor. Não queremos que o empresário tenha prejuízo nem queremos que o consumidor de energia pague lucros exorbitantes. Tem um caminho no meio e nós sabemos qual é”, declarou Lula. 

Aprenda a investir na bolsa

Por enquanto, o único consórcio que já marcou presença é liderado pela construtora Andrade Gutierrez. Lula afirmou, no entanto, que espera quatro ou mais grupos para o leilão. O presidente ainda aventou a hipótese do governo assumir os investimentos necessários, da ordem de R$ 19 bilhões, e construir a hidrelétrica sozinho, caso nenhuma empresa privada queira o empreendimento. “O governo fará Belo Monte”, concluiu.