Novo tributo para a saúde é descartado pelo PMDB

"Não somos a favor de nenhuma nova carga tributária no momento. Mas, vamos analisar de acordo com as necessidades", disse o presidente do PMDB, Michel Temer

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – A criação da CSS (Contribuição Social para a Saúde) foi descartada pelo presidente do PMDB, Michel Temer (SP), possível vice-presidente na chapa da candidata petista Dilma Rousseff.

Na última quarta-feira (9), o PMDB entregou o programa de governo do partido à pré-candidata à presidência e Temer disse que a criação de um tributo destinado à saúde não faz parte dos planos do partido por enquanto.

“Não somos a favor de nenhuma nova carga tributária no momento. Mas vamos analisar de acordo com as necessidades”, disse ele, conforme publicado pela Agência Brasil.

Aprenda a investir na bolsa

Propostas
Já no que diz respeito às propostas do partido para um possível governo, o PMDB sugeriu a extensão, ao Ensino Fundamental e Médio, do ProUni (Programa Universidade para Todos), que concede bolsas de estudos em universidades particulares para alunos carentes.

Além disso, o partido propõe a criação de uma poupança destinada aos filhos dos beneficiados com o Bolsa Família. “Seria um valor a mais. Dando sequência ao programa de governo do presidente Lula”, disse Temer.