AO VIVO Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Fundador da Chili Beans fala sobre a gestão de crise da empresa na pandemia; assista

Novo premiê italiano promete rigor orçamentário e crescimento econômico

Mario Monti considerou que o futuro do euro depende também do que a Itália fizer e que o fim da moeda traria os países para 1950

SÃO PAULO – O novo primeiro-ministro italiano, Mario Monti, prometeu nesta quinta-feira (17) liderar um “governo de compromisso nacional”, amparado em três pilares: rigor fiscal, crescimento econômico e justiça social.

Em seu primeiro discurso no Senado, ele se comprometeu a adotar medidas “em linha” com aquelas necessárias para enfrentar o ceticismo sobre a habilidade da Itália de honrar sua dívida pública de € 1,9 trilhão.

Monti considerou que a dívida terá de ser reduzida “gradualmente, mas duradouramente”, já que os esforços orçamentários adotados anteriormente foram em vão, uma vez que não levaram a taxas de dívida pública permanentemente baixas.

PUBLICIDADE

Moeda única
O novo premiê do país advertiu que “o futuro do euro depende também do que a Itália fizer”. Monti também disse que o fim do euro traria os países que utilizam a moeda comum “de volta para a década de 1950” e destruiria o projeto mais amplo da União Europeia.

Citando declarações recentes da chanceler alemã Angela Merkel, o premiê disse que a Europa está atualmente “em seu momento mais difícil desde a Segunda Guerra Mundial”, acrescentando que a crise tem sido agravada pela “falta de governança” e que uma eventual solução teria de ser encontrada dentro da Europa.

O governo de Monti vai enfrentar um voto de confiança no Senado ainda nesta quinta-feira e amanhã na Câmara dos Deputados. Quase todos os legisladores já indicaram que vão votar a favor do governo.