Na expectativa

Novo ministro da Fazenda deve sair até o fim de novembro: Lula fez três indicações

Segundo o Valor Econômico, Lula sugere Trabuco, Meirelles e Nelson Barbosa para o cargo; nome de Rossano Maranhã também foi cotado

SÃO PAULO – Após tentar acalmar o mercado, que registrou queda – mesmo menor que a prevista – após a sua reeleição, Dilma Rousseff (PT) terá como tarefa sinalizar quem será o próximo ministro da Fazenda, algo que esteve em foco mesmo antes de sabermos quem seria o próximo presidente, dado o desafio que os problemas da economia brasileira trazem ao governante. 

Nomes já carimbados como o empresário Josué Gomes da Silva e do ex-secretário-Executivo da Fazenda, Nelson Barbosa, do ex-BC Henrique Meirelles voltaram à cena enquanto um novo foi acrescentado – do presidente do Bradesco, Luiz Trabuco.

E, de acordo com notícias do jornal “Valor Econômico”, tanto Trabuco, Barbosa e Meirelles seriam indicações de Lula a Dilma.

PUBLICIDADE

Uma corrente no PT defende uma solução parecida com a de Lula na primeira fase, com um político com bom trânsito também no setor empresarial. Assim, algumas outras notícias falam sobre a possibilidade da escolha recair sobre o governador da Bahia, Jaques Wagner, que seria o “Antonio Palocci” de Dima.

A presidente foi perguntada diretamente sobre Trabuco na Record e desconversou, visivelmente incomodada.

O jornal “Folha de S. Paulo” destacou que Dilma, diante da permanência das reações negativas do mercado, que o governo esperava que passassem depois do fato consumado da reeleição, decidiu procurar o novo comandante da economia no mercado, com credibilidade entre os investidores. E cita Trabuco e o ex-presidente do Banco do Brasil, Rossano Maranhão, hoje no Banco Safra. O novo ministro, segundo informações do jornal, deve sair só no final de novembro.