"Esquerda democrática"

Novo manifesto em apoio à candidatura de Aécio é divulgado e reúne até ex-eleitores do PT

O texto, cujo título é Esquerda Democrática com Aécio Neves, diz que respeita o PT, mas que o partido decepcionou

SÃO PAULO – Com a disputa eleitoral cada vez mais acirrada e com boa parte da população querendo manifestar o seu voto, os manifestos vêm se proliferando pela internet. Após 164 economistas se mobilizarem para afirmar que o principal argumento da presidente Dilma Rousseff (PT), a crise internacional, é uma falácia e diversos economistas manifestarem o seu apoio à Dilma Rousseff desta vez, um novo grupo fez uma manifestação pró-Aécio.

Em um texto cujo título é Esquerda Democrática com Aécio Neves, 773 intelectuais e profissionais liberais assinaram um texto de apoio ao tucano, sendo que alguns deles até mesmo disseram terem sido ativistas de esquerda e/ou eleitores de candidatos petistas. 

“Sempre respeitamos o PT, em cujos candidatos muitos de nós já votaram. Pensamos que o rico pluralismo da esquerda deve se combinar com a recusa a qualquer posicionamento inflexível, submisso a princípios abstratos ou comandos partidários. Não aceitamos que nenhum partido atue como se fosse o único representante coerente da esquerda ou da democracia”, afirmaram.

PUBLICIDADE

Porém, os que assinam o manifesto se dizem decepcionados com o PT: “a campanha petista no primeiro turno valeu-se de táticas e subterfúgios que desonram o bom debate. Caluniou, difamou e agrediu moralmente a candidatura de Marina Silva, sob o pretexto de que seria preciso fazer um ‘aguerrido’ confronto político. Atropelou regras procedimentais e parâmetros éticos preciosos para a esquerda e a democracia”, destacou o manifesto.

E, segundo eles, o candidato tucano à presidência e os seus aliados “representam uma oportunidade para que se retomem os fios rompidos da vasta tradição do reformismo democrático no Brasil. Seu governo poderá dar seguimento às vitoriosas políticas sociais dos últimos anos. Programas de grande impacto social, como o Bolsa Família, o Mais Médicos e o Minha Casa Minha Vida, podem e devem ser aperfeiçoados, reestruturados e ampliados. O Estado precisa continuar a ser recuperado como fator de regulação econômica e de promoção do progresso social”.

Para eles, chegou a hora de as oposições mostrarem que podem governar o País. “A aliança programática que se constituiu em torno de Aécio Neves, impulsionada por PSDB, PSB, PPS e PV, entre outros partidos, e pelo apoio de militantes da Rede e de lideranças políticas expressivas, como Marina Silva, será importante para que se consolide uma perspectiva de renovação. Agregará mais pessoas comprometidas com a democracia. E ajudará a que se supere o quadro de estagnação polarizada em que se encontra a política nacional, criando um polo progressista novo, alargado e requalificado”.

Dentre os nomes que aderiram ao manifesto, estão Cristovam Buarque, senador pelo PDT/DF e que apoiava Marina Silva, o ministro aposentado do STF (Supremo Tribunal Federal) Eros Grau, os economistas José Eli da Veiga e Monica de Bolle, o ator Marcos Palmeira, entre outros.