Novas denúncias adiam mais uma vez votação de processo contra Renan Calheiros

Jornal Nacional apontou supostas notas frias que o senador teria utilizado para comprovar rendimentos

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após muita discussão, o relator do processo contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), no Conselho de Ética, Epitácio Cafeteira (PTB), aceitou adiar mais uma vez, para a próxima terça-feira (19), a votação de seu parecer, que pede o arquivamento do caso.

Por intermédio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), Renan pediu que o conselho adiasse a votação. Renan também sugeriu que o Conselho de Ética ouça a jornalista Mônica Veloso, com quem o senador tem uma filha, e o funcionário Cláudio Gontijo, da construtora Mendes Júnior. A representação contra Renan no Conselho busca esclarecer se ele teve contas pessoais pagas por Gontijo.

Senadores do governo e da oposição se mostraram favoráveis ao adiamento da votação para que, até lá, sejam analisados os novos documentos encaminhados ao Conselho por Renan.

Nova denúncia

Aprenda a investir na bolsa

A votação ganhou nova repercussão após a veiculação de uma reportagem na última quinta-feira no Jornal Nacional, da TV Globo, que apontou supostas notas frias que Renan teria utilizado para comprovar rendimentos com a venda de gado.

Nesta sexta-feira (15), Renan se reuniu com líderes para discutir a análise do relatório. Segundo ele, as reuniões mantidas com os senadores foram para apresentar documentos, entre os quais estão guias de transporte animal, notas de vacina e recibos de venda, usados para a defesa da nova denúncia.