Em mensagem

“Nossas putarias têm que continuar”, disse secretário de Cabral a empresário

O recado foi capturado pelos investigadores, que descobriram tentativa de acordo em torno da versão dos fatos a ser apresentada aos procuradores

SÃO PAULO – A força-tarefa da operação Lava Jato capturou uma conversa entre o ex-secretário de Saúde do governo do Rio Sérgio Côrtes (gestão Sérgio Cabral) e o empresário Miguel Iskin, em que os dois teriam combinado versões a serem apresentadas ao Ministério Público Federal. A dupla foi presa na operação Fratura Exposta, desdobramento da Lava Jato, e denunciada por obstrução de Justiça. As informações são do blog do jornalista Fausto Macedo, d’O Estado de S. Paulo.

Os investigadores identificaram uma mensagem enviada pelo ex-secretário de Cabral ao empresário. “Meu chapa, você pode tentar negociar uma coisa ligada à campanha. Pode salvar seu negócio. Podemos passar pouco tempo na cadeia… Mas nossas putarias têm que continuar”.