À espera de Dilma

Nomura vê Levy como o mais provável para a Fazenda e espera reação positiva do mercado

Na sequência da indicação de Levy, a Nomura espera anúncio de um plano fiscal crível nas semanas seguintes

SÃO PAULO – A hora da presidente Dilma Rousseff anunciar a sua equipe econômica se aproxima. O mercado já repercute os rumores de mercado de que ou Joaquim Levy, ex-secretário do Tesouro no Governo Lula, ou Nelson Barbosa, ex-secretário-executivo da Fazenda, vão substituir Guido Mantega.

E, de acordo com o diretor de mercados emergentes da corretora Nomura, Tony Volpon, a expectativa é de que a definição da Fazenda leve a uma reação positiva do mercado. Segundo a Nomura, o nome mais provável para o cargo é de Joaquim Levy.

Levy é bastante conhecido como um formulador de políticas ortodoxas e pró-mercado que devem ajudar na difícil tarefa de realizar um ajuste econômico e é atualmente o chefe da Divisão de do Bradesco Asset Management, ressalta a Nomura. Ele, anteriormente, atuou como secretário da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

Na sequência da indicação de Levy, a Nomura espera anúncio de um plano fiscal crível nas semanas seguintes. A expectativa é de um plano fiscal com alcance para os próximos anos que leve a um caminho para a estabilização da dívida. “Tal anúncio seria a chave para restaurar a confiança do mercado”, afirma Tony Volpon. 

Em meio a essas sinalizações, o Nomura indicou uma posição de três meses em NDF (Contrato a Termo de Moeda sem Entrega Fisica) de dólar a um target de R$ 2,524 e stop loss de R$ 2,644. O Nomura tem US$ 5 milhões nesta posição.