Eleição

No Rio, Aécio promete mais investimentos e comenta “caso Graça Foster”

"O governo federal vai financiar todos os municípios brasileiros que apresentarem projetos de acessibilidade", disse Aécio Neves

SÃO PAULO – Em visita à Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR), na zona sul do Rio de Janeiro, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, prometeu hoje (22) que, se for eleito, aumentará os investimentos anuais feitos em programas de acessibilidade e em instituições de reabilitação. Para Aécio, as aplicações atuais são insuficientes e estão concentrados nas grandes cidades.

“No nosso programa de governo, temos o projeto Brasil Acessível. O governo federal vai financiar todos os municípios brasileiros que apresentarem projetos de acessibilidade. Do ponto de vista de habilitação, é preciso apoiar de forma muito mais expressiva entidades como a ABBR, entidades estaduais. Vamos criar uma linha de financiamento e de compra de equipamentos de última geração”, anunciou o candidato.

Aécio disse também que, caso seja eleito presidente, terá ao fim do mandato, em 2018,taxa de investimento da economia em torno de 24%. A taxa hoje varia de 18% a 19%. “País que não cresce não gera empregos. Teremos uma política fiscal transparente, com regras cumpridas, sem intervencionismo”, afirmou.

PUBLICIDADE

O presidenciável comentou ainda a possibilidade de bloqueio dos bens da presidenta da Petrobras, Graça Fortes, por causa da denúncia de irregularidades na compra da Refinaria de Pasadena, no estado norte-americano do Texas. Aécio disse que o Tribunal de Contas da União (TCU) deve julgar com isenção o caso. A decisão foi anunciada quarta-feira. “O TCU não é um órgão subordinado ao Poder Executivo. Sua função é fiscalizar as ações do governo e não pode sofrer nenhuma pressão”, ressaltou Aécio.