No G-8, Japão fica em quinto em ranking de performance climática

Relatório divulgado durante a cúpula do G-8 elogia metas ambiciosas, mas critica falha em adotar medidas para atingi-las

SÃO PAULO – O anfitrião da cúpula do G-8 deste ano ficou apenas em quinto lugar no ranking que mostra quais dos países membros que adotaram as medidas mais eficazes para combater o aquecimento global.

Segundo um relatório da consultoria Ecofys divulgado durante o evento, no começo deste mês, o Japão, juntamente com a Itália, demonstrou esforços, mas ainda está longe da meta de manter o aquecimento global abaixo de 2º C. Na lista, Reino Unido ficou com o primeiro lugar, seguido por França, Alemanha e Itália. Nas últimas colocações, estão Rússia, Canadá e Estados Unidos.

Metas ambiciosas, mas poucas ações

O relatório destaca as metas ambiciosas de países como França, Alemanha e Japão para reduzir as emissões climáticas até 2050, em 20%, 30% ou até 40%. Porém, critica a falha em colocar as políticas de redução em prática.

PUBLICIDADE

Comparando as emissões do país asiático com a média dos industrializados, o índice japonês está relativamente baixo, devido principalmente ao uso de energias renováveis. Mesmo assim, as emissões têm aumentado e nenhum plano para deter esse crescimento foi posto em prática.

Ainda de acordo com o documento, 47% da energia utilizada no Japão são provenientes do petróleo, 21%, da queima de carvão, 15%, da energia nuclear e 13%, do gás.

Além disso, o relatório destaca que o país está longe de atingir os objetivos determinados no Protocolo de Kyoto, cujo prazo termina em 2012. Ao contrário, o Japão apresentou aumento de 5,3% nas emissões, entre 1990 e 2006.