Perspectivas

Natal sem descanso: 5 eventos prometem agitar a próxima semana na Bolsa

Entre últimos dias do Congresso no ano, anúncio de pacote de medidas do BC e PIB dos EUA, semana deve ser agitada no mercado

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Mesmo com mercado entrando em ritmo de final de ano, a próxima semana não será tranquila para os investidores, com destaque para as últimas decisões da política antes do recesso e para o anúncio de um pacote de medidas por parte do Banco Central. Além disso, a agenda também reserva a divulgação do relatório trimestral de inflação. No exterior, atenção para indicadores e eventos nos Estados Unidos, com destaque para o PIB (Produto Interno Bruto) do terceiro trimestre.

No campo político, está marcado para segunda e terça-feira a votação do projeto que trata da dívida dos estados na Câmara dos Deputados. O projeto foi aprovado pelo Senado na última quarta-feira e havia a expectativa que fosse votado na quinta na Câmara. As alterações feitas pelos senadores, porém, geraram um impasse na apreciação da matéria, que ficou para a última semana de trabalhos do ano. Apesar disso, há quem acredite que a votação ficará apenas para 2017.

Entre os indicadores, destaque para o IPCA-15 de dezembro, considerado uma prévia da inflação oficial do país. O indicador ganha força após o IPCA de novembro ter ficado abaixo do esperado e aumentado as apostas de corte da Selic no início do próximo ano. Outro dado importante será o relatório de inflação do Banco Central, que mostrará o cenário visto pela autoridade e também servirá para ancorar as apostas dos investidores sobre os juros.

PUBLICIDADE

Enquanto isso, para terça-feira (20) está marcada a divulgação de medidas estruturais pelo presidente do BC, Ilan Goldfajn. Segundo alguns rumores, a instituição tratará do crédito de forma geral e também dos depósitos compulsórios, entre outros pontos ligados a seus quatro pilares de atuação: redução do custo de crédito, melhora da eficiência do sistema financeiro, arcabouço legal do BC e cidadania financeira.

No exterior, além do PIB dos EUA, chama atenção o discurso de Janet Yellen fará um discurso na segunda-feira (19). Vale lembrar que nesta semana o Fed elevou os juros no país e falou em três novas altas em 2017. Nesta sexta-feira, porém, o líder da autoridade em Richmond, Jeffrey Lacker, afirmou que a autoridade precisará fazer mais que três altas de juros no próximo ano.

Confira os principais eventos da próxima semana:

Política
Com sessões na segunda e na terça, está prevista na Câmara dos Deputados a votação do projeto que trata da dívida dos estados. O Senado aprovou o projeto esta semana, mas algumas alterações feitas causaram divergências na Câmara. Apesar da expectativa, os debates devem se prolongar e aumenta a chance de que o assunto fique apenas para 2017.

IPCA-15
Na quarta-feira (21), às 9h, será divulgado o IPCA-15, que, segundo a equipe da Rosenberg Associados, deve registrar variação de 0,27%, ficando acima da variação de 0,25% registrada no mês anterior. Para eles, esta prévia da inflação deve apresentar resultado acumulado de 6,7% em 2016, ante 10,7% em 2015.

Relatório Trimestral de Inflação
Segundo a equipe da Rosenberg, o relatório de dezembro vai ser a oportunidade do BC apresentar os riscos de seu cenário e conduzir o mercado para a intensidade do ciclo de corte – que não dúvida da aceleração, mas se divide entre 50 pontos-base e 75 bps, com mais peso no primeiro número. Ele lembram ainda que sinais de debilidade mais profundos advindos da atividade, contrariando a expectativa de recuperação para a reta final de 2016, tomaram lugar central na decisão de política monetária na última reunião o Copom. 

PUBLICIDADE

Medidas estruturais do BC
Na terça-feira (20), às 11h, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, irá apresentar medidas estruturais, na esteira do que foi divulgado na quinta pelo governo. A instituição tratará do crédito de forma geral e também dos depósitos compulsórios, entre outros pontos ligados a seus quatro pilares de atuação: redução do custo de crédito, melhora da eficiência do sistema financeiro, arcabouço legal do BC e cidadania financeira.

No caso dos cartões de crédito, parte das novidades já foi antecipada pelo Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante divulgação do pacote de medidas econômicas. A intenção é permitir que lojistas possam oferecer descontos se o cliente decidir pagar à vista em dinheiro, por exemplo, em vez de utilizar o cartão de crédito. Atualmente, isso não é possível.

PIB EUA
Já na quinta-feira (22), às 11h30, será a vez da divulgação do PIB final do terceiro trimestre nos Estados Unidos, a projeção do mercado é que a maior economia do mundo apresente um leve aumento ante a prévia anterior, que foi de 3,2%, atingindo 3,3%.