Nasce primeiro herdeiro ao trono japonês em 40 anos; conservadores comemoram

Chegada do bebê acalmou, por ora, o debate quanto à impossibilidade de mulheres se tornarem imperatrizes

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Nasceu no Japão, na manhã desta quarta-feira (06) em Tóquio (noite da terça-feira, no horário de Brasília), o primeiro menino da família real em 40 anos, acalmando as preocupações quanto à falta de sucessores para o trono.

O bebê, de 2,558 kg, é filho da princesa Kiko e do príncipe Akishino, segundo filho do imperador Akihito. O parto foi uma cesariana, devido a complicações e à idade da mãe (39 anos).

O governo gastará mais de ¥ 1 milhão por ano com o bebê, cujo nome será dado no sétimo dia de vida, segundo a tradição japonesa.

Polêmica quanto à ascenção de mulheres

Aprenda a investir na bolsa

Durante toda a gravidez, o casal não revelou o sexo da criança, por causa das polêmicas em torno da possibilidade de ser uma garota.

A falta de homens na terceira geração do imperador e o avanço da idade das princesas, diminuindo a perspectiva de que nascesse algum, levantou a discussão quanto à impossibilidade de mulheres ascenderem ao posto de imperatrizes.

Reforma adiada

O primeiro ministro do país, Junichiro Koizumi, defendeu a modernização da regra em prol das herdeiras (são três as netas do imperador), e parece ter tido o apoio da população.

A gravidez de Kiko animou os conservadores, já que fez com que as propostas de reforma fossem paralisadas. O nascimento do menino colocou um fim provisório no debate.