Em Belo Horizonte

“Não vou deixá-los continuar a destruir esse País e, se precisar, serei candidato”, diz Lula

Em visita à Ocupação Izidora, em Belo Horizonte, ex-presidente volta a insinuar possibilidade de se candidatar à presidência em 2018

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a se colocar como possível candidato nas próximas eleições em resposta ao que entende como “destruição do país” em execução recentemente. Em visita à Ocupação Izidora, em Belo Horizonte (MG), no começo da tarde desta terça-feira (29), o líder petista também aproveitou para criticar as ações do Ministério Público Federal em investigações contra ele.

“Tô igual vocês, só posso reclamar e brigar. Estou prometendo para a Marisa, desde 1978, que vou sossegar. Mas o que acontece? Eles não deixam”, afirmou Lula conforme ressalta sua conta no Twitter. “Tem um pessoal do MPF que resolveu investigar minha vida. Já viraram, reviraram e desviraram. Não tem problema. Eu só quero que depois me peçam desculpas”.

“O problema é que dizem que eles estão fazendo isso porque não querem que eu volte em 2018. Eu não pensava mais em ser candidato, mas eu não aguento ver que eles estão destruindo esse país”, argumentou o petista. “Mas eu não vou deixar eles continuarem a destruir esse País e, se precisar, eu serei candidato”. “Eu gostaria que aparecesse alguém mais preparado e mais jovem para concorrer em 2018”, declarou em outro momento.

Aprenda a investir na bolsa

Em seu discurso, o ex-presidente também criticou a baixa atenção dada às camadas mais pobres da sociedade e ressaltou que, para que sejam resolvidos os problemas do país, é preciso “cuidar do povo pobre”. “Eu provei para eles que nós poderíamos fazer inclusão social. Eles não se conformam quando as pessoas mais pobres sobem um degrau na escala social”, disse. Lula ainda chamou atenção para o combate ao preconceito: “Se eles sonham para os filhos deles, a gente sonha para os nossos. A gente não quer que nossos filhos sejam assassinados pela polícia porque são pretos e pobres”.

Durante sua fala, o ex-presidente também comentou sobre a trágica queda do avião com a delegação da equipe da Chapecoense, jornalistas e convidados ocorrida na Colômbia, na madrugada de segunda para terça-feira. “Hoje é um dia triste. Caiu o avião com os jogadores da Chapecoense e tantas outras pessoas”. Mais cedo, Lula já havia divulgado nota manifestando solidariedade a todos os envolvidos no episódio.