Política

“Não vamos abandonar os estados”, diz Temer sobre veto

Em um balanço sobre as ações do governo neste ano, Temer voltou a ressaltar a boa relação entre o Executivo e o Legislativo e o forte apoio que tem recebido da base no Congresso

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – O presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (29) que o governo vai se empenhar no próximo ano em um reforma tributária, na esteira de outras reformas que o Executivo já vem promovendo. Segundo ele, a Reforma da Previdência deve ser aprovada no começo de 2017; e o mesmo deve ocorrer com a reforma trabalhista. “Penso que será de fácil tramitação no Congresso Nacional”, disse.

Em um balanço sobre as ações do governo neste ano, Temer voltou a ressaltar a boa relação entre o Executivo e o Legislativo e o forte apoio que tem recebido da base no Congresso.

O presidente comentou também sobre a liberação das “contas inativas” do FGTS, que vai ajudar a movimentar a economia, e sobre os juros no crédito rotativa, que eram “exageradíssimos” e, com diálogo, o governo conseguiu sua redução.

PUBLICIDADE

Durante o pronunciamento, Temer afirmou que o governo “enfrentou e resolveu” as questões sociais, citando a valorização do Bolsa Família. Sobre o programa Minha Casa, Minha Vida, ele comentou que estão previstas a construção de 500 mil casas no ano que vem. 

Além disso, o presidente usou o pronunciamento para explicar o veto parcial ao projeto de socorro aos estados, anunciado ontem. Segundo ele, sem contrapartida dos governo locais com vistas ao reequilíbrio fiscal, a ajuda “seria inútil”. “Isso não significa que vamos abandonar os estados”, disse. Conforme o presidente, o governo federal fará negociações individuais estado a estado para saber quais as dificuldades, quais as contrapartidas oferecidas e o que a União pode fazer por cada um deles. 

Temer encerrou a fala com uma mensagem positiva para o ano que vem: “2017 será um ano de muitas realizações e esperança, não só para o governo, mas também para os brasileiros”.

(Com Reuters)