MERCADOS AO VIVO Ibovespa volta aos 100 mil pontos

Ibovespa volta aos 100 mil pontos

Procurador da Lava Jato

“Não surpreende que os parlamentares continuem praticando crimes”, diz Deltan ao criticar STF

"Parlamentares têm foro privilegiado, imunidades contra prisão e agora uma nova proteção: um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF", disse o procurador da Lava Jato

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Os procuradores da Operação Lava Jato manifestaram em publicações nas redes sociais suas críticas contra decisão tomada na última quarta-feira (11) pelo STF (Supremo Tribunal Federal), que entendeu que medidas cautelares contra deputados e senadores devem receber aval do Congresso.

“Não surpreende que anos depois da Lava-Jato os parlamentares continuem praticando crimes: estão sob suprema proteção. Parlamentares têm foro privilegiado, imunidades contra prisão e agora uma nova proteção: um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF”, escreveu o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba em sua página no Facebook. 

Na publicação, ele elogiou dois ministros do Supremo, que votaram contra o entendimento vencedor. “Fica o reconhecimento à minoria que vem adotando posturas consistentes e coerentes contra a corrupção, especialmente (ministros Luiz Edson) Fachin e (Luís Roberto) Barroso”, afirmou.

Aprenda a investir na bolsa

Outro a criticar a decisão do STF foi o procurador da Lava-Jato Carlos Fernando dos Santos Lima. “Hoje (ontem) tivemos a submissão do STF ao Congresso. Podemos chamá-lo ex-Supremo”, afirmou em sua página no Facebook.