Segundo bloco

“Não quero me juntar ao PT e ao PSDB. Quero fazer política nova”, diz Marina

Enquanto presidente defendeu a liderança brasileira entre os membros do Mercosul e dos BRICs, o candidato tucano afirmou que pretende manter as legislações do aborto.

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Questionada sobre as relações internacionais do Brasil por Pastor Everaldo, do PSC, a presidente Dilma Rousseff destacou a posição de liderança do Brasil no Mercosul e também na América Latina. Ela falou também sobre a posição de destaque do país entre os membros dos BRICs.

Eduardo Jorge (PV) questionou o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, sobre o tema aborto. O tucano disse que a legislação atual deve ser mantida. “Defendo que as pessoas tenham mais acesso à informação, mas quero manter a legislação atual”, disse.

O candidato do PV rebateu que a legislação é vergonhosa e destacou que o Brasil não pode manter essa política reacionária que é uma afronta e uma violência contra as mulheres. “É necessário dar novo fôlego aos temas relacionados à saúde e à segurança pública”, explicou Aécio.

Aprenda a investir na bolsa

Por outro lado, o tucano perguntou à Marina Silva, do PSB, sobre seu posicionamento de não subir em alguns palanques e sobre o que seria essa política nova que ela propõe.

“Me sinto coerente com a renovação da política e capaz de mudar a realidade da política atual. Não queria me juntar ao PT e ao PSDB. Infelizmente algumas pessoas boas nestes partidos ficam no banco de reservas”, disse a candidata do PSB, afirmando que há uma dificuldade muito grande do PSDB em reconhecer que alguns projetos do PT são bons para a população.

Aécio voltou a questioná-la sobre o que seria a nova política e disse que ele atuaria com a política que sempre achou boa. A presidenciável do PSB voltou a dizer que está disposta a trazer novos caminhos para as práticas da política.